Notícias

Professores devem participar da construção do orçamento nos departamentos da Uneb



 Devido à importância da implantação do Orçamento Participativo na Uneb, a diretoria da ADUNEB orienta aos professores que participem dos debates e da construção do orçamento em seus respectivos departamentos. 

As discussões sobre as diretrizes metodológicas para a implantação do Orçamento Participativo na universidade seriam realizadas em 07 de junho, na reunião do Conselho Universitário (Consu). Porém, foram adiadas para 13 de julho, após acordo entre os presidentes do Consu e das duas câmaras de discussões. As sugestões ao documento das diretrizes enviadas ao Consu pela Reitoria teve participação ativa do representante da ADUNEB, professor Abraão Felix (leia mais).  
 
Diante do adiamento da reunião e da impossibilidade de aprovação das diretrizes metodológicas, o sindicato dos professores irá propor uma reunião entre ADUNEB, Sintest, DCE e Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan). O objetivo será cobrar daquele órgão gestor a participação de docentes, técnicos e estudantes no processo de construção do orçamento participativo da Uneb, mesmo com as diretrizes metodológicas ainda não tendo sido aprovadas no Consu.
 
Após a construção da proposta orçamentária da Uneb, para 2018, o documento será encaminhado ao governo estadual. A ADUNEB tem preocupação com o curto período para discussão e a possível falta de ampliação do debate. De acordo com a Proplan, em reunião com a ADUNEB em 26.04, o prazo final para a entrega do documento é o mês de julho. 
 
Para a maior participação democrática da comunidade acadêmica, a ADUNEB sugerirá que as representações do Sintest e DCE também incentivem os debates sobre o Orçamento Participativo em seus espaços de discussões.
 
Conquista
 
A diretoria da ADUNEB considera que as discussões e posterior implantação do Orçamento Participativo são conquistas do Movimento Docente, frutos da pressão da vitoriosa greve de 2015. Até aquela oportunidade, apesar de constar no plano de gestão da reitoria, não havia nenhum empenho dos gestores pela concretização do projeto. Foi a luta do Movimento Docente, tanto durante a greve quanto depois, incentivando a discussão por meio de reuniões e videoconferências, que garantiu o avanço do Orçamento Participativo na Uneb.